I Love Hue, desafio e tranquilidade

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Minha tríade de jogos para smartphone é Paciência, Angry Birds e Tentacles - Enter the Mind. Porém, não dá para chamar mais assim. Tríade. Porque mais um entrou para esta lista.
I Love Hue é um jogo de quebra-cabeça com o tema cores, onde o objetivo é organizar de acordo com a escala de tons, tendo como referência peças que ficaram fixas.
É divertido ver na prática algo já lido pela internet, que os tons podem ser vistos de maneiras diferentes dependendo do que está ao seu redor. Você procura uma peça, pensa "Achei, certeza, é essa", coloca no lugar esperado e seus olhos revelam que algo não está ornando.
Com a concentração, que você dará de bom grado pela beleza do jogo, a percepção das tonalidades se desenvolve, enxergando as pequenas diferenças, contraste em peças até das mais similares.
A transição do caos inicial e a harmonia da imagem final, combinado com os efeitos sonoros, tem uma suavidade. Ao mesmo tempo que os tons de cores são o desafio, também é relaxante. Tendo a me sentir nervosa com qualquer jogo, então todos esses fatores me ajudam a apenas apreciar o momento. E, ainda, conversa com o jogador fofamente <3.

Não sei a Morte, mas sua filha caçula é legal

domingo, 25 de junho de 2017

Meu primeiro encontro com A Morte é Legal, de Jim Anotsu, foi em uma estante de livraria há uns bons anos, chamou atenção pelo título e uma capa engraçadinha em uma cor roxa linda, nele Andrew é apaixonado pela melhor amiga há três anos, e ao conhecer a filha da morte, Ive, esta propõe que juntos encontrem os três nomes do Gato, a criatura mais importante do Universo, o que concederá a eles três desejos, incluindo o amor que ele espera.
Com Andrew e Ive é uma comédia romântica que se desenrola em meio a viagens entre mundos e criaturas mágicas, com diálogos que podem não fazer sentido no melhor estilo Alice no País das Maravilhas. Seus oponentes em encontrar os nomes do Gato, Astrophel e Stella, carregam uma história mais dramática, com passagens de texto bem reflexivas. Há também uma narrativa pé-no-chão, que se desenrola nessa realidade em que vivemos, com a irmã de Andrew, Amber, que sonha em trabalhar com música ao lado do melhor amigo, Jonas, vítima bullying.
A busca pelos nomes do Gato é divertida de percorrer, porém o que mais me surpreendeu, e me faz recomendar esse livro, foi a dose de drama, que é parte do enredo bem mais do que eu esperava, presente tanto na profundidade da escrita, sobre escolhas, amor, morte, motivação e tanto mais, como no destino dos personagens, que são valorizados e marcantes, mesmo os com pouca passagem na história.
A Morte é Legal
Jim Anotsu
Draco Editora, 2012
314 páginas

Skincare 002 ::: Destaques entre amostras

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Quando o Correios aparece com o pacote de cosméticos coreanos o entusiasmo é por este ter chegado e para ver as amostras que vieram, algo certo para compras nas lojas TesterKorea, Jolse e Cosmetic-love, que são nas quais tive experiência até agora. Esta é uma lista de amostras que me fizeram ter essa reação:


Cosrx PHA Moisture Renewal Power Cream

Hidratante recomendado para pele seca, fiquei preocupada em gerar oleosidade excessiva no meu rosto, mas utilizei na rotina de cuidados noturna e no dia seguinte minha pele aparentava um efeito aveludado, minha primeira preocupação não se concretizou e ele ainda ajudou com a redução de pontos vermelhos que sugiram anteriormente da acne.

Holika Holika Smooth Egg Skin Peeling Gel

Remove células mortas deixando a sensação de pele lisinha, realmente cumprindo a diminuição dos cravos, reduziu a aparência dos poros e não irritou regiões já sensibilizadas, como com acne.

The Face Shop THE SMIM Firming Care Essence

Esse é o produto que mais me surpreendeu entre os cosméticos orientais, mostrando os resultados mais intensos, aliviou linhas de expressão na testa e a do sorriso e uniformizou consideravelmente o tom da pele.

Wishlist 001 ::: Guarda-roupa

domingo, 21 de maio de 2017

Estamos na luta para diminuir o volume dentro do guarda-roupa, mas não quer dizer que tem que parar de entrar coisa nova. Estou satisfeita com minha evolução em relação a comprar que está vindo junto com quanto mais próxima estou ficando de mim mesma.
Não é uma lista de desejos grande, apenas com certezas.
Por ordem de aparecimento: Saia jeans (Park Bo-Young, em Strong Woman Do Bong-Soon) | Sapatilha preta (Vizanno, em Passarela.com) | Cardigã (Lee Dong-Wook, em Goblin) | Boné (Lee Sung-Kyung, em Weightlifting Fairy Kim Bok-Joo)
Para os dias que vou pular de ônibus em ônibus e saia longa não vai cooperar, ou não quero ficar preocupada com o vento em uma curta de tecido leve, a saia jeans vai ser uma boa companheira. E os modelos com barra desigual são apaixonantes.
Sou uma amante de calçados e acho necessário pode ler como 'quero' mesmo uma tríade de calçados de cor preta. Sapato? Ok; Sandália rasteira? Ok; Sapatilha? X, o modelo da imagem é um que encontrei por acaso e me agradou, mas meu pé é problemático para tamanhos e formatos, então quero encontrar pessoalmente e experimentar. À procura.
O Nordeste é bem quente, mas passo a maior parte do tempo em sala de aula, laboratório ou dentro de ônibus/carro, e se não não programo meu dia com alguma longa caminhada posso me dar ao luxo de usar terceira peça, e cardigã soltinho é um desejo de longa data.
Cada vez cuidados com a pele me deixa mais entusiasmada, e quero desenvolver esses cuidados para além de cosméticos, então, no começo quis escolher uma peça apenas para proteger meu rosto, depois gostei da imagem gerada pelo boné, particularmente, em tom claro, agora estou ansiosa para poder usar um.

Uma história simples — talvez

sexta-feira, 19 de maio de 2017

Imaginem. As vezes, a mãe consegue nos fazer ouvi-las e sairmos com o guarda-chuva. Ainda bem, porque nesse dia específico, I. Não fiquei encharcada durante 4 horas em um laboratório com ar-condicionado; e II. Dei uma carona. Estou acostumada a minha cabeça ficar repassando os momentos que me assustam, as respostas e atitudes das pessoas para saber se cometi algum erro, e agora ela tem esse outro tipo de momento para reprisar. De coragem. Ofereci uma carona. Pela primeira vez. EM UM GUARDA-CHUVA.
Carona em um guarda-chuva. Pois é, achei a piada ótima.
Muitos, inclusive eu, desceram em uma parada de ônibus, começaram a abrir os guarda-chuvas e seguir seus destinos. Mas, uma garota desconhecida ficou parada, com rosto para chuva com aquela expressão que todos fazemos ao analisar se dar para esperar estiar ou o compromisso é muito importante, ou se a imagem molhada é aceitável para onde vai, ou quantas horas vai ter que aguentar o frio. Sem plot twist, perguntei se a garota estava indo para o setor 'tal' e quando ela confirmou ofereci um espacinho em baixo do guarda-chuva. Rimos quando nos deparamos com uma extensa poça d'água, procurando como ultrapassá-la sem estragos, a vencemos, mas a própria chuva conseguiu um belo ataque a nossos calçados.
Agi antes do meu cérebro alarmar que eu iria incomodá-la, cometer um erro, passar vergonha... Deu certo. Está dando certo. Pequenos grandes momentos como esse me mostram porque não desisti de tentar medicação quando o psiquiatra aumentou a dosagem e senti uma bagunça ainda maior na minha cabeça, nem da terapia quando tive que enfrentar o medo de coisas ainda não ditas a mim mesma. Mesmo com as mudanças dentro de mim, não posso deixar de enxergar tantas que vêm de fora, o que é bem compactado nessas palavras do k-drama Goblin. Uma definição para 'deus' sem peso.

Não tão escuro

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Skincare 001 ::: Tudo a dizer do começo

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Vagando pelo Instagram me deparei com uma imagem de um livro chamado The Little Book of Skin Care: Korean Beauty Secrets for Healthy, Glowing Skin, escrito por Charlotte Cho, mostrando em uma ilustração os passos da rotina coreana de cuidados com a pele. Primeiro pensamento: então aquela pele lisinha não é só bênção e base?, segundo pensamento: um absurdo, não aguentaria durante uma semana por motivos de 10 fucking etapas para prevenir ou restaurar de manhã E a noite. Meus cuidados se resumem resumiam a sabonete facial, protetor solar e tônico adstringente quando dava vontade, mas do que isso faria uma real diferença?
Depois do abalo inicial algumas informações começaram a chamar atenção.
Os cuidados dos asiáticos para com a pele não é exceção, pode ser chamado praticamente de cultural, enquanto ocidentais pagam mais em produtos para esconder e reverter problemas miraculosamente, orientais previnem, mais do que beleza, é um compromisso de cuidado com o maior órgão do seu corpo, como colocado pela autora Charlotte, um pensamento que me marcou. O principal não é sua idade ou gênero, mas sua pele, observar, tocar e perceber o que ela precisa. Consequentemente, há uma maior variedade de produtos e marcas, já que a indústria cosmética coreana busca renovar, coreanos investem, sabem sobre a própria pele e sobre o que querem, então nada de fidelidade. Resumidamente, foi assim que senti aquele suspiro de confiança e quis dar uma chance a rotina.
E sobre o susto de serem usados 10 (x2) produtos (ou passos) por dia? Então... Não precisa ser 10. Se é sobre sua pele, é sua rotina e não uma ÚNICA rotina onipotente.
Uma das páginas ilustrativas do livro da Charlotte Cho
E assim começou a saga, praticando enxergar o que minha pele pedia, tentando burlar a preguiça para me comprometer a cuidar diariamente, porém com poucos produtos.
Para o começo achei importante focar em 1. limpeza, porque achei double cleansing uma ideia genial, me ensinando que não é só maquiagem que precisa de algo mais para ser retirado do rosto no dia a dia, tem aí a poluição, a própria oleosidade da pele, camadas e camadas de protetor solar, então primeiro um produto de limpeza à base de óleo e depois à base de água; 2. hidratação, já que minha pele é predominantemente oleosa passei uma vida acreditando que sempre deveria me dirigir a prateleira de produtos antioleosidade e hidratantes seriam meus inimigos; e 3. proteção solar, porque é sempre bom, essa parte já ouvimos a importância, né? Mantive alguns produtos que já usava, comprados no Brasil, outros são coreanos. E os produtos para esse início foram:
Sabonete Facial 80g, Clean & Clear: Apesar de informar que previne aparecimento de acne, não senti diferença nesse aspecto, mas como meu desejo era apenas algo suave, foi suficiente. Só compraria novamente para intercalar com uma opção mais eficaz. Preço aproximado: BRL 6,00. A'Pieu Cleasing Oil 160ml, da A'Pieu: O post do Valeu a Compra (para onde corro ao ter dúvidas) me ajudou a conhecer empresas, seus principais focos e destaques, a A'Pieu me chamou atenção e juntamente com o preço escolhi esse como meu primeiro óleo de limpeza. Um óleo incolor com um cheiro super agradável, não sei descrever bem fragrâncias mas diria que é levemente cítrico, deixa uma sensação de limpeza e notei a diminuição dos meus poros, aplico na pele seca e massageio, ao entrar em contato com a água forma uma leve espuma azulada. Uma ótima primeira opção, recomendo. Preço aproximado: KRW 6800 = ~ USD 6 na TesterKorea.
Máscara de argila 100g: Não lembro quando comecei a ouvir falar da argila, mas eram sempre ótimos comentários, resolvi testar e adorei. Faço máscara de 20 minutos duas vezes por semana alternando entre argila preta e verde, quando uma delas acabar testarei outra cor, mas minha favorita entre elas é a preta, sinto a pele lisinha ao retirá-la, a verde apesar da mesma sensação retira MUITO mais a oleosidade, então prefiro não exagerar dessa última. Preço aproximado: BRL 7,50.
Panda's Dream White Sleeping Pack 50g, da Tony Moly: Com as leituras descobri a importância da hidratação, e achei que uma máscara para dormir seria mais prático, avaliando também preço e marca. Uso apenas duas vezes por semana para minha oleosidade natural da pele não descontrolar, tem um cheirinho suave de lavanda (tentando descrever fragrância de novo). Informa também função clareadora, mas não notei diferença nesse aspecto, foca na hidratação mesmo. Preço aproximado: KRW 7480 = ~ USD 6,80 na TesterKorea.
Protetor Solar Antioleosidade Anthelios Airlicium FPS30 50g, da La-Roche Posay: Aderi o hábito de usar protetor solar a uns 4 anos, e por uns 3 uso esse produto, apesar de ser toque seco não sinto que minha pele fica assustadoramente seca (repuxando, sabe?), tem um cheiro agradável e espalha com facilidade. Preço aproximado: BRL 69,90.
Claro que no começo acabava pulando o uso dos produtos por preguiça mesmo, mas com 1 mês de experiência estou animada, está virando um hábito, principalmente a double cleansing, enquanto no começo eu só queria terminar logo, agora passo bem mais tempo massageando meu rosto e apreciando observando as mudanças, se tornou um momento divertido e para relaxamento, além de estar feliz com os resultados, acne e poros diminuíram, e o tom está mais uniforme, por isso já tem mais coisa encomendada das lojinhas coreanas.
Tudo a dizer do começo. Ela falou o nome do filme título!!!... Não aguentei, desculpa.

Resoluções de 10 meses de bullet journal

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Nesse mundinho da internet descobrimos que nada em nós é tão esquisito. O que quero dizer é que eu não sou a única que não consegue utilizar agendas, aquelas bonitinhas que já vem marcada com as datas, cada folha demarcada com sua função. E como alternativa, não só para substituir agenda, encontrei o tal bullet journal. Acredito que os pontos principais desse sistema são o index (vulgo, sumário), onde vai está listado o número da página e o que há nela, e os bullets, os símbolos escolhidos para representar o tipo de anotação, no meu caso, uso três: tarefa, evento e nota, símbolos secundários também podem acompanhá-los e completar a sentença de forma rápida. Aqui tem mais detalhes de como começar, direto do desenvolvedor do sistema, porque o quero contar é sobre a experiência. Ou, talvez, eu esteja apenas fazendo propaganda do bullet journal mesmo, porque ele é maravilhoso.
Quando comecei fiquei um pouco assustada, queria algo prático, mas também organizado e bonito, queria os modelos elaborados que via no Pinterest de forma rápida e em 10 meses de uso do bullet journal percebi que a organização que ele trazia para minha vida era bem mais importante e não precisava usar fontes de letras diferentes e encher de detalhes, mas encontrei alternativas para agregar beleza a organização. Deu pra conciliar as coisas.
Ainda no começo li em algum lugar por aí que o negócio era adaptar o bullet journal as suas necessidades. Verdade! Veio a ser a primeira coisa que aprendi e o charme do sistema. Listar o que você tem para fazer é prático, mas como faz isso também influencia. Eu gosto de toda noite, com aquela exceção que vez por outra aparece, sentar para pensar no dia seguinte, então o registro diário funcionou bem para mim, mas não o semanal, que tentei recentemente e baseava-se em uma dupla de folhas ser separada para cada semana do ano, o que gerou o mesmo problema das agendas vendidas prontas, em alguns dias sobrava espaço, em outros, faltava.
Além de não precisar confiar que você vai lembrar de tudo, a praticidade também entra em poder encontrar os vários lados da minha vida em um só lugar, tem lembranças coladas e desenhos, reuniões, anotações sobre a graduação, tarefas pessoais, mas dá certo, cada coisa tem seu lugar e é fácil de encontrar porque tem página para cada uma mesmo que um tema não esteja junto em um bloco de folhas.
O bullet journal me ajuda a relaxar não só no momento em que planejo o próximo dia e deixo registrado datas que não podem ser esquecidas, há também o fato de produzir, umas fitas adesivas aqui, uns rabiscos acolá, fazer à mão pra ter um tempinho para você respirar. Até quando comete um erro, respira e vê o que dá pra fazer (Motivacional, não?).

Três azuis

sábado, 28 de janeiro de 2017

Faz mais de um ano que escrevi aqui, muito tempo. Acabei voltando apagando várias postagens antigas porque uma época de mudanças aconteceu principalmente o último mês e refletiu dessa forma aqui. Refletiu também em querer reaparecer, o que usei como pretexto apenas três fotos.
 
 Sem promessas. Oi.
 
FREE BLOGGER TEMPLATE BY DESIGNER BLOGS. ICONS BY AddMedia